Quarta, 18 de Maio de 2022
11°

Tempo aberto

Ubá - MG

Cultura Cultura

Grupo Impacto de Dança estreia espetáculo em Ubá

Obra Yoté como-unidade destaca os jogos e brincadeiras; bailarinos exploram o lúdico e a interação com o público

11/04/2022 às 13h49 Atualizada em 14/04/2022 às 17h03
Por: Redação
Compartilhe:
Grupo Impacto de Dança/ Foto: Davi Carlos Acácio
Grupo Impacto de Dança/ Foto: Davi Carlos Acácio

O Grupo Impacto de Dança estreou na manhã de domingo (10), na Praça São Januário, em Ubá, o espetáculo Yoté Como-unidade. A apresentação marcou o reencontro do grupo viçosense de danças urbanas com o público após a pausa nas atividades presenciais por conta da pandemia de Covid-19. 

O evento encerrou a Semana Municipal da Juventude, organizado pela Prefeitura Municipal de Ubá (PMU), através da Secretaria de Cultura, Turismo e Lazer. Antes da atração principal, realizada pelo Impacto, subiram ao palco os grupos de danças urbanas CIA Movimento Urbano e Oeste VII. 

Com concepção de Alex Ramos (Leko) e Luís Filipe Claudino Gomes (Fil) e coreografia de todo o elenco, o Impacto buscou no espetáculo reunir elementos artísticos da dança e do teatro, através de uma apresentação que chama a atenção pelas cores e ressalta os jogos e brincadeiras infantis, em uma exibição lúdica, dinâmica e interativa com o público. 

A proposta que contagiou o público do começo ao fim, na retomada dos eventos em um período mais ameno da pandemia, teve um outro elemento que foi pensado pelo grupo e é destacado por Leko: “neste período de pandemia a galera ficou muito na internet, várias plataformas digitais, o que é muito positivo, mas agora com o retorno gradativo, às pessoas parecem que esquecem de socializar, conversar com o outro. A gente que é um pouco mais velho viveu isso, não tinha internet a gente se comunicava através das brincadeiras, conhecíamos os amigos, nos comunicávamos, fazíamos aquele laço de amizade, hoje a gente vê pouco isso. Por isso, pensamos num espetáculo para remeter isso às crianças, também para os adultos voltarem nesse tempo, da comunicação olho no olho”.

Lucas Pereira, coreógrafo do Oeste VII, que já foi aluno do bailarino Jean Carlo do Nascimento, ressaltou a felicidade de reencontrar o Impacto: “a gente agradece a oportunidade de novamente estar fazendo a abertura deles aqui, o Grupo Impacto tem uma relação especial com a gente porque a partir de um projeto que teve em Ubá há tempos atrás, as danças urbanas começaram a ganhar espaço na cidade.”

Contagiados pelo espetáculo, o público se manteve atento e em interação durante toda a apresentação. Para Luana Martins, professora de dança que estava prestigiando o show, “espetáculos como esses ajudam a fomentar a cena cultural da cidade”. 

O secretário adjunto de Cultura, Turismo e Lazer, Beto Silva, elogiou o grupo e destacou a alegria de poder começar a voltar com os eventos que a presença do público é essencial para o sucesso das apresentações: "vivemos dias de muitas incertezas e isso nos fez ficar reclusos em casa. E a dança, ao contrário disso, é a expressão da liberdade do corpo, a liberdade da arte. Para nós hoje estar retornando com a grata presença do Grupo Impacto, fechando a semana Municipal da Juventude e abrindo os trabalhos deles é sensacional. ”

Yoté 

O nome da obra é inspirado em um jogo de tabuleiro jogado no continente africano. Esse é um jogo de estratégias. Para vencer é preciso exercitar o raciocínio rápido, a criatividade e a observação. Cada jogada pode mudar repentinamente o rumo da partida. 

O espetáculo do Impacto provocou o público a buscar semelhanças entre as estratégias para vencer nos jogos e na vida. Trata-se de ocupar espaços, contar com o outro e compartilhar experiências.

A apresentação trouxe também reflexões sociais, como a questão da individualidade sobreposta aos sentidos de comunidade, a conexão com o digital como prioridade à conexão social. 

“É importante persistir e acreditar na arte” 

Ao final das apresentações na rua, O Grupo Impacto se reuniu no Fórum Cultural de Ubá para uma roda de conversa com o público. 

Entre os presentes, ocuparam as cadeiras principalmente os bailarinos dos grupos ubaenses. Interessados e inspirados pelo Impacto, os jovens aproveitaram a oportunidade para conversar com os bailarinos do grupo de Viçosa sobre experiências, dificuldades e desafios. 

O Impacto ressaltou o amor e a importância da arte, fatores que mobilizam as criações das obras e os espetáculos. Na conversa, os bailarinos do Impacto relembram suas trajetórias até àquele momento, tanto em suas vidas pessoais quanto no mundo artístico.

O momento de troca foi oportuno para os presentes, onde a energia de comunidade prevaleceu, sobressaindo os estímulos gerados aos jovens para persistirem e acreditarem na importância da arte na vida. 

Grupo Oeste VII em apresentação/ Foto: Davi Carlos Acácio
Companhia Movimento Urbano abriu o evento/ Foto: Davi Carlos Acácio

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias