Maior parte dos focos do Aedes aegytpi são encontrados dentro das casas

21/02/2017

 

A Prefeitura de Ubá,  divulgou o Boletim Epidemiológico 06/2017, com números relativos às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

 

De acordo com o Boletim, durante a semana dos dias 13 a 17 de Fevereiro,  1.591 imóveis foram visitados pelos Agentes de combate às Endemias. Nestas visitas, 176 focos do mosquito foram encontrados. Os bairros coletados foram, Peluso, Talma, Cibraci  e São Domingos.

De acordo com o último LIRAa, realizado durante a semana de 2 a 6 de janeiro, o Município aponta o índice de 4,9%, o que significa alto risco de infestação.

 

 

A Vigilância Epidemiológica informa a constatação de 76 notificações de casos suspeitos de dengue em Janeiro, sendo 20 descartados, um confirmado e demais aguardando resultado de exames laboratoriais.

 

 

 

A maior parte dos focos encontrados está dentro das casas. Os locais que lideram o número de criadouros do Aedes aegypti são os tambores dentre outros reservatórios (baldes e latões) utilizados para armazenar água em razão do abastecimento irregular e até mesmo desabastecimento de água. Também foram encontrados focos nas caixas d’água, piscinas, ralos, vasos sanitários em desuso, bebedouros de animais, vasos de plantas e lixo.

 

 

Os bairros Santa Bernadete/Industrial, São Domingos e Laurindo de Castro lideram os bairros com maior número de focos encontrados durante o LIRAa. (Veja  quadro)

 

 

 

Cuidados simples podem evitar a proliferação do mosquito. Veja oito dicas para combater o mosquito:

 

 

1 - Mantenha limpas e vedadas adequadamente as caixas de água e os demais reservatórios de água;

 

 

2 - A água sanitária também poder ser utilizada para eliminar as larvas do mosquito Aedes aegypti, na proporção de 2 ml de água sanitária por litro de água. Mas é importante lembrar que ela NÃO PODE ser utilizada em água para consumo humano e de animais. Assim, tambores de armazenamento (100 litros) de água não utilizada para consumo deve adicionar 1 copo americano (200 ml) de água sanitária. O tratamento deve ser repetido semanalmente, de preferência em dia fixo, de modo a garantir que a solução continue efetiva;

 

 

3 -  Lave e escove as partes internas dos vasos sanitários em desuso e vede corretamente os ralos, fazendo uso de água sanitária e sabão em pó semanalmente nesses locais;

 

 

4 -  Mantenha a casa limpa e sem água parada para evitar os possíveis criadouros: nada de manter pratinhos de plantas com água, garrafas pet ou qualquer objeto que facilite o acúmulo de água. Verifique as bandejas na parte de trás dos refrigeradores;

 

 

5 - Mantenha as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água nas mesmas;

 

 

6 - Mantenha limpos e escovados os bebedouros de animais domésticos. A água deve ser trocada diariamente;

 

 

7 - Mantenha piscinas devidamente tratadas;

 

 

8 - Dê um cuidado especial ao armazenamento e destinação do lixo. Jamais descarte qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, no quintal de vizinhos, na rua ou em lotes vagos.

 

 

Essas ações são primordiais para se combater o vetor transmissor de doenças que matam. Para enfrentar o Aedes é preciso a união de toda sociedade. Realizar a vistoria nos domicílios e locais de trabalho é de extrema importância.

 

 

É sempre bom lembrar: A Prefeitura de Ubá disponibiliza um telefone à população para informações e denúncias, o Disque dengue 0800-2835-300.


Com informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Ubá

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS