Trabalhadores protestam em frente à fábrica de móveis em Ubá

17/04/2017

Trabalhadores da fábrica de móveis Ferrari, em Ubá paralisaram as atividades e fizeram uma manifestação na manhã desta segunda-feira (17). Um caminhão da Central Única dos Trabalhadores (CUT) estava no local. Os funcionários, por meio do Sindicato da categoria, pedem reajuste salarial.

De acordo com o Sindicato de Marceneiros de Ubá, os trabalhadores não tiveram o salário reajustado com a inflação e o último reajuste era para ter ocorrido em setembro de 2016. O sindicato dos Marceneiros por meio de seu presidente, José Carlos Pereira, informou que uma das empresas está atrasando o pagamento dos funcionários e há outras reclamações como o não pagamento de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) por algumas empresa e queixas quando a acidentes e doenças do trabalho.

 

O Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Mobiliário de Ubá (Intersind). representante das fábricas do Polo Moveleiro de Ubá, não aceitou o reajuste proposto pelo Sindicato trabalhadores, de 9,6%, e propôs 3%.

 

Os Sindicatos, dos trabalhadores e o patronal, ainda não chegaram a um acordo e o reajuste segue indefinido.

 

De acordo com a assessoria de comunicação do Intersind, um pronunciamento será feito assim que houver um posicionamento do departamento jurídico.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS