Adolescentes somem de casa em Ubá

27/04/2017

De acordo com matéria publicada no site  do Jornal o Tempo,  as famílias estão desesperadas. As garotas, de 14 anos, fugiram durante a madrugada desta quinta-feira (27), a mãe de uma delas acredita que caso é "rebeldia adolescente". Uma das jovens teria dito estar noiva de homem que mora no Estado do Rio de Janeiro.

 

 

As causas da fuga podem ser um desentendimento em família e um possível relacionamento virtual.

 

As famílias de Larissa da Silva Matias e Beatriz Bianchini estão desesperadas e pedem ajuda para localizá-las.

 

 

"Era 2h quando eu percebi que ela não estava na cama, fui procurar e não encontrei. Ela deixou uma carta falando que me amava, mas que estava cansada de ser humilhada e que queria viver a vida dela", contou Alexandra da Silva Cabral, 38, mãe de Larissa.

 

Alexandra contou também que recebeu informação de que as meninas pegaram uma carona e que estariam indo para Itaperuna, cidade do estado do Rio de Janeiro, onde moram dois rapazes que elas teriam conhecido pela internet.

 

"Eu tenho para mim que é rebeldia de adolescente. Ela não estava com namorado, é muito boa filha, me ajudava dentro de casa. Eu acho que ela e essa amiga conheceram dois rapazes em Itaperuna, pelo Instagram, Whatsapp. Eu olhei o Facebook delas e não achei nada", contou.

 

A mãe da adolescente disse que no último fim de semana, a filha tinha pedido para ir para praia com colegas e ela não deixou. "Ela é muito nova", disse.

 

 

A família de Larissa deu falta de uma mochila, de algumas peças de roupa da adolescente e do celular da mãe, que ela também levou. "Ela não tem nenhum centavo, não que eu saiba pelo menos", finalizou.

 

 

 

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que já investiga o desaparecimento das adolescentes. 

 

 

Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro das jovens, pode avisar a polícia pelo telefone 0800 28 28 197. Não é preciso se identificar.

 

"Não vou voltar"

 

 

A tia de Beatriz teme pelo pior. Ela conseguiu um breve contato com a sobrinha que disse estar bem, que está na casa de uma família fora de Ubá e que não irá voltar. "Estamos muito preocupados com ela. Ela pode voltar, que não vai acontecer nada, queremos ela em casa. O medo é de que alguém está fazendo alguma coisa come elas", afirmou Odara de Castro Bianchini, tia de uma das meninas.

 

Também, de acordo com a tia, Beatriz teria dito a uma vizinha que estava noiva de um homem do Rio de Janeiro e que iria conhecê-lo. "Ninguém pôs fé que elas iam fugir de casa", lembrou a tia.

 

 

Odara confirma a história de Alexandra, mãe de Larissa, de que as meninas conheceram dois rapazes pela internet. "Uma coleguinha de Beatriz disse que ela estava planejando sair de casa", revelou a tia, que está fazendo buscas pela internet e teme de que os rapazes, na verdade, sejam pessoas usando perfis falsos.

 

Beatriz mora com o pai, a tia Odara, uma prima e os avós paternos. A mãe dela, que é separada do pai, mora em outra cidade.

 

A carta

 

Larissa parece se abrir para a mãe com a carta. Ela conta que não aguenta mais a própria realidade e que não estava feliz. A família dela, contudo, desconhece que ela tivesse passando por algum problema grave.

 

Os pais de Larissa são separados e ela mora com a mãe, um irmão e a cunhada. A separação dos pais, há cerca de cinco anos, revoltou muito a menina, segundo a mãe, já que ela era muito apegada ao pai, com que tem pouco ou quase nenhum contato atualmente.

 

 

 

Larissa e Beatriz estudam juntas e moram na mesma rua.

Texto retirado do site O tempo

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now