Sindicatos denunciam mutilações no polo moveleiro de Ubá

18/10/2017

As mutilações de 16 trabalhadores desde o início do ano são apenas a ponta de um iceberg de desrespeito aos direitos trabalhistas no polo moveleiro da região de Ubá (Zona da Mata), o primeiro do setor no Estado e um dos mais importantes do País. Esse foi o cenário apresentado nesta segunda-feira (16/10/17), em audiência pública da Comissão de Participação Popular, atendendo a requerimento do deputado Rogério Correia (PT), 1º-secretário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

 

Segundo o relato dos participantes da reunião, o problema das amputações, que já era rotina no setor, ganhou contornos de epidemia, com o crescimento superior a 166%, já que em todo o ano passado seis trabalhadores perderam algum membro em acidentes de trabalho nas indústrias moveleiras da região de Ubá.

 

Indústria moveleira da Zona da Mata é denunciada na ALMG

Durante a audiência foram exibidas diversas fotos com dedos, mãos e braços amputados, que constam de um dossiê feito pelo Sindicato dos Marceneiros de Ubá com trabalhadores do polo, que engloba, além dessa cidade, outros sete municípios vizinhos, totalizando mais de 600 empresas e cerca de 16 mil empregos.

 

FONTE: Assembléia Legislativa de Minas Gerais

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now