Futebol de Ubá brilha pelo Brasil

07/11/2017

Mateus Lima, Pedro Augusto, Rincón e Luan Cândido fazem sucesso em seus clubes e sonham com um futuro de glórias no esporte

 

O ano ainda não acabou mas já pode ser celebrado pelo futebol de Ubá. Há muito negligenciado pelos ubaenses o esporte voltou a ser notícia na cidade, tanto pelo resgate de um dos mais tradicionais clubes da região, o Aymorés, que foi destaque em diversos cantos do país com o seu programa de sócio torcedor, quanto pelo prestígio da torcida, que compareceu em peso em campeonatos como o Municipal, Regional e a Copa Alterosa. Além dos clubes e campeonatos, quatro jogadores da cidade fizeram muito bonito esse ano e carregaram o nome de Ubá além dos gramados de Minas Gerais.

 

Na Série B2 do Campeonato Carioca o atacante ubaense Rincón Teixeira, de 23 anos foi o artilheiro e eleito o melhor atacante do campeonato defendendo a equipe do Santa Cruz, da zona oeste do Rio. “É muito gratificante ter sido premiado. Trabalhei muito para fazer um excelente campeonato e graças a Deus fui honrado com essa premiação”, afirmou o atleta em entrevista ao site FutRio. O camisa 9 ajudou o Santa Cruz a conquistar uma vaga à série B1 do Carioca, a segunda divisão do futebol do Rio, fato inédito para o clube, e agora pensa no futuro. Ele revelou que já recebeu propostas de outros clubes, mas deixou a definição nas mãos de seus empresários. “Meu contrato terminou com o Santa Cruz e meus empresários estão cuidando do meu futuro. Tive propostas de outros clubes, mas meus empresários estão vendo o que é melhor pra mim”, concluiu o atacante. Rincón é irmão de Luis Carlos Teixeira Ribeiro, mais conhecido com Escuro, vereador na cidade. 

 

Na capital paulista outro ubaense faz sucesso nas divisões de base do São Paulo, o volante Pedro Augusto, de 20 anos, filho de Tulio e Mara Costa. O jogador, que havia feito testes no Cruzeiro e no Fluminense, foi descoberto após disputar o Torneio Internacional de Futebol de Diriron, na França, na época com 13 anos. “Joguei dois anos seguidos essa competição por um time da cidade de São João Nepomuceno. Eles fizeram uma seleção dos melhores garotos da região e nos levaram para lá”, disse em entrevista ao programa Arena Líder, da Líder FM no final do último ano.  “Eu fui muito bem nesse torneio. No nosso time tinha um menino que jogava na base do São Paulo e ele me indicou ao empresário dele. Disse que eu teria chances de jogar”, recordou. Pedro Augusto defende as cores do São Paulo desde os 13 anos e fez parte de uma geração Sub-20 do clube que venceu a Copa Ouro, Copa do Brasil e Campeonato Paulista, tendo sido, inclusive, capitão do time em muitas oportunidades. Com contrato com o clube paulista até o meio de 2018 Pedro espera seguir os passos de jogadores como Casemiro, volante criado no São Paulo que hoje brilha nos gramados da Europa e pela seleção brasileira. “Tem vários jogadores que admiro pela história que fizeram e vejo sempre. Gosto de ver vídeos, mas atualmente tenho prestado muita atenção no jogo do Casemiro. Ele é um dos pilares do Real Madrid, uma das principais equipes do mundo. Ele joga muito bem e com propriedade em sua posição. Marca muito bem e sabe sair jogar com a bola com muita qualidade”, afirmou o ubaense em entrevista para a ESPN em agosto deste ano.

 

Há poucos metros do Centro de Treinamento do São Paulo, está o do rival Palmeiras, onde outro ubaense se destaca. Trata-se do lateral Luan Cândido, de apenas 16 anos e que ganhou notoriedade recentemente fazendo parte do elenco da seleção brasileira que conquistou o terceiro lugar na Copa do Mundo Sub17 realizada na Índia. Luan é filho de Amarildo, morador do bairro Peixoto Filho em Ubá, e começou a jogar aos 9 anos no Centro Esportivo Ubaense, segundo o jovem, aprovado somente na terceira seletiva do clube. “Eu estava jogando bola no terreiro de casa e meu pai falou dessa seletiva do Ubaense (CEU), nas duas primeiras eu não passei, mas na terceira tentativa eu entrei”, contou o atleta em entrevista à CBF TV. Convidado para testes no Palmeiras por um olheiro Luan foi aprovado e, desde então, faz parte da equipe de base do clube paulista. Recentemente o lateral teve seu contrato renovado e o vínculo, agora, foi estendido até 2020. "É uma emoção muito grande assinar o meu primeiro contrato profissional com o Palmeiras, estou muito feliz. É sempre uma alegria vestir essa camisa e vou seguir treinando forte para alcançar ainda mais objetivos pelo clube", disse Luan. Quem acompanha a passagem de Luan pelo Sub-17 do Palmeiras, impressiona o faro de gol do jogador. Apesar de ser lateral, ele marcou cinco gols no último Paulistão de sua categoria. No ano passado, durante o Campeonato Paulista Sub-15, Luan Cândido fez 13 gols em 25 partidas.

 

 

No nordeste outro ubaense dá passos largos para o sucesso no futebol e coroou o melhor ano de sua carreira com o título do campeonato brasileiro da série C. Trata-se do zagueiro Mateus Lima, de 23 anos que defende as cores do CSA de Alagoas, que derrotou o Fortaleza e sagrou-se campeão em 2017, além de ter garantido vaga para a série B de 2018. Mateus tem o futebol no sangue, o jovem é filho de outro notório zagueiro, Marino Lima, que fez sucesso no futebol regional com grande destaque defendendo as cores do Aymorés. “Meu ídolo no futebol é meu pai, ele é o meu maior incentivador e minha principal inspiração”, afirmou Mateus durante entrevista para o Arena Líder no dia 30 de outubro. “Por causa do meu pai me tornei zagueiro, na verdade eu comecei jogando no meio de campo, mas quando descobriam que eu era filho do Marino me colocavam pra jogar na zaga”, contou Matheus, divertindo-se com a história. O zagueiro começou sua trajetória no Bandeirante de Ubá e teve passagens ainda por Industrial e Aymorés antes de ir pro Sport de Juiz de Fora e América de Belo Horizonte, onde jogou por três anos antes de se transferir para o clube alagoano. No CSA Mateus jogou com jogadores consagrados, como Rosinei, meio campista com passagens por Corinthians, Atlético-MG e Internacional e Boquita, ex-Corinthians e foi testemunha da grande rivalidade entre o seu clube e o CRB. “Logo que cheguei a Maceió fui pegar um taxi e o motorista me reconheceu como jogador do CSA, confirmei e ele mandou eu descer porque era torcedor do CRB... lá não dá pra usar nenhuma peça de roupa das cores do rival que dá problema”, contou Mateus que faz planos para o futuro próximo “minha ideia é renovar com o CSA e fazer um grande campeonato brasileiro da série B em 2018”.

 

Rincón, Pedro Augusto, Luan Cândido e Mateus Lima são mais que exemplos em Ubá, os atletas podem servir de inspiração para centenas de jovens que, diariamente, buscam seu lugar no esporte e, com o sucesso dos conterrâneos, podem acreditar em um futuro de glórias no futebol. Valorizar a prata da casa vai muito além do reconhecimento, e esses atletas, assim como muitos outros, merecem o sucesso que estão colhendo. O futebol de Ubá agradece.

 

 

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS