Prefeito decreta situação de emergência por causa de Aedes aegypti

29/01/2018

 

Logo após o preocupante levantamento feito pelo LIRAa 2018, apresentado na semana passada, o prefeito Edson Teixeira Filho decretou situação de alerta e emergência no combate ao mosquito Aedes aegypti. O índice de 8,2% fez com que a prefeitura agisse instantaneamente.

 

O decreto da situação de emergência assegura à Administração Municipal a não necessidade de abertura de licitação com os fins de se firmar contratos de bens necessários ao combate das doenças transmitidas pelo mosquito (zika, chikungunya e febre amarela), no período máximo de 180 dias consecutivos.

 

Outra importante consequência do decreto é o poder de polícia destinado aos agentes da Vigilância em Saúde, que faz com que os mesmos possam adentrar em imóveis particulares e/ou públicos, nos casos de ausência ou não liberação por parte do morador.

 

A prefeitura ainda classificou os níveis de infração, quanto ao encontro de focos dos mosquitos nas residências, em quatro:

 

LEVE – quando são encontrados um ou dois focos do mosquito;

 

MÉDIA – três a quatro focos;

 

GRAVE – cinco a seis focos;

 

GRAVÍSSIMA – um ou mais macro foco.

 

Lembrando que os agentes irão notificar os moradores com um prazo de 10 dias para regularização. Se em nova visita a situação não sido solucionada, os responsáveis estarão sujeitos à multa.

 

Para ler o decreto na íntegra clique AQUI.

 

FONTES: G1 Zona da Mata e Prefeitura Municipal de Ubá.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now