Família que viaja a bordo de uma kombi, passa por Ubá

05/03/2018

 

 

Movidos por um sonho, Bardo e Fada, são dois artistas gaúchos que  decidiram largar o conforto da casa onde moravam em Porto Alegre e viajarem pelo mundo numa Kombi - mais conhecida como Elvira.  

Na intenção de espalharem amor, música e liberdade, o casal juntamente com suas filhas Lavínia e Mônica, vivem uma vida nômade e livre - cantando suas canções pelas estradas.

 

Segundo a dupla, é desafiador acordar e não saber ao certo para onde ir. E, já houveram alguns bloqueios durante o percurso. Mas, priorizando a busca incessante por cultura e conhecimento, eles escolheram não pensar duas vezes e apenas tentar aproveitar a viagem. Ou melhor: as viagens.
 

"Nós, como artistas, precisamos estar sempre em movimento para levar nossa arte mundo afora. O maior desafio é não saber onde vamos estar. É fazer com que o cérebro pare de se preocupar com o local onde iremos dormir; mas, com o tempo, aprendemos a lidar com isso. Aconteceram muitas coisas pelo caminho. Mais coisas boas do que ruins", relatam.

 

Os gaúchos parecem determinados quando dizem que não pretendem parar e abrir mão da casa sobre rodas. Apesar de sentirem falta de familiares e amigos, a vontade de conhecer lugares, e novas culturas, levando arte para as pessoas é bem maior, "Sentimos muita saudade dos nossos amigos e familiares, mas não pensamos em voltar pra casa, nosso objetivo é viajar o mundo inteiro. Queremos conhecer o máximo de lugares possíveis. Tem muitas coisas lindas por aí, muita cultura pra gente absorver".

 

       _________________________________________________

"Eu acho que uma vida inteira é o suficiente pra corrermos o mundo todo. E nenhum de nós pretende parar".

     ____________________________________

 

A dupla de artistas conta que fazem bastante amigos nessa trajetória, e, que apesar de muitos obstáculos, se sentem felizes e realizados, pois fazem o que amam, "[...] temos amigos em todos os lugares, e estamos muito felizes com esse projeto - que é levar a arte e criar conexões. Na estrada existem os dias difíceis, mas na maior parte do tempo é muita descoberta. A gente gosta de não saber onde vai dormir, acordar, poder escolher onde iremos ficar, é muito bom poder dizer: - Ah, essa semana quero ir pra tal lugar, quero dormir na natureza! Ou essa semana a gente precisa ficar na Zona Urbana".

 

Com relação as filhas, eles dizem estarem cientes de que com o passar do tempo, elas possam querer não seguir o mesmo caminho dos pais e viverem do modo como acharem melhor. Isso para o casal é algo muito natural e pretendem dar o devido apoio que elas precisarem.
 

"As crianças, provavelmente, quando chegarem numa certa idade vão querer escolher um cantinho para elas – o que achamos muito natural; a gente tem consciência disso e estaremos prontos para auxiliá-las quando elas tiverem na maior idade. Mas, eu e Bardo seguiremos estrada", explicam.

 

O casal ainda conta que as filhas gostam desse estilo de vida e, que, assim como os pais, têm interesse em buscar por aprendizado, "Nossas filhas gostam muito desse estilo de vida, nós, dentre outras coisas, somos artistas, então temos um jeito diferente de pensar e enxergar a vida. Elas adoraram a ideia de viajar pelo mundo. A gente conversa muito. Sempre que dá. Nós as levamos para o Rio Grande do Sul, para elas passearem e verem os avós, tios, primos. Elas gostam muito de  conhecer lugares e novas culturas. Em Ubá, por exemplo, elas descobriram a história de Ary Barroso".

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS