Sem receber do Estado, Santas Casas devem restringir atendimentos em Minas Gerais

19/07/2018

 

Com atraso de mais de R$ 1 bilhão a 320 hospitais filantrópicos, por parte do Estado, as Santas Casas de Minas Gerais decidem em reunião que será realizada dia 03 de agosto, se haverá a necessidade de restrição no atendimento ao SUS, inclusive nos setores de urgência e emergência.

 

A Federassantas, Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas Gerais, foi a responsável pelo cálculo da dívida, apontando ainda que o Estado deve R$ 5,5 bilhões à saúde de Minas no geral.

 

A presidente da Federação, Kátia Rocha, explica através de dados legais: “A Lei 8.666, das Licitações, prevê a interrupção no fornecimento dos serviços em caso de atraso superior a 90 dias no pagamento. Em alguns programas, o repasse não é realizado desde 2015”.

 

Kátia ainda alerta, “[..] não tem medicamento, os laboratórios não recebem, os salários estão atrasados [..]”, o que atesta que mesmo se os hospitais não quiserem a paralisação, será impossível manter o atendimento.

 

Por nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que não é “possível fazer o levantamento total (da dívida), tendo em vista que os repasses são feitos fundo a fundo”. Lembrando ainda que o Estado de Minas Gerais decretou situação de calamidade financeira em 2016.

 

(FONTE: Portal Hoje em Dia).

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now