Dudu França da Líder: O melhor 'bom dia' das suas manhãs

27/09/2018

 

Fascinado pela locução desde os cinco anos de idade, Eduardo Silva, mais conhecido como Dudu França, é o dono de uma das vozes mais queridas da Líder FM 103,5. No ar, a partir das cinco horas da manhã, Dudu é a companhia inseparável de milhares de ouvintes que acordam ao lado de sua cativante voz todos os dias. Em uma conversa descontraída com o jornal O Noticiário, ele conta sobre sua história nas ondas do rádio.

 

Natural de São Paulo e hoje residente em Tocantins, a paixão pela locução despertou cedo. “Desde pequeno sou fascinado pela locução e meu pai, ao perceber isso, me presenteou com um rádio a pilha. Eu dormia e acordava ouvindo. Levantava da cama antes das cinco horas da manhã pra ouvir Zé Béttio, Inezita Barroso, Eli Corrêa. Eu achava aquilo o máximo, então comecei a treinar”. E salienta: “[...] na escola, quando o professor pedia pra alguém ler um ditado, eu era o primeiro a me oferecer para recitar. Sempre me motivaram a ser locutor, até que finalmente, anos depois, consegui entrar pro rádio”.

 

Entretanto, Dudu teve de lidar com um problema, que inicialmente o impedia de trabalhar com o que mais amava e ele chegou a pensar em desistir da carreira. “Tive de superar alguns obstáculos, pois eu era gago e não conseguia sequer fazer um piloto. Minha gagueira era uma coisa muito séria, eu sofria bullying na escola, tive sérios problemas, tanto que na época que comecei a falar no rádio, tive de superar algumas dificuldades. Muita gente falava comigo para não ser locutor, pois eu iria morrer de fome se fosse tentar viver da voz, diziam que eu não levava jeito e aí, pensei em desistir, pois já estava muito aborrecido com a situação”.

 

Dudu começou nas rádios ainda na década de 80, mais precisamente, em 1988, como discotecário e ajudante de operador. “Eu era o cara que buscava os discos na outra sala quando me pediam, esse foi o modo em que pude aprender aos poucos. Posteriormente, passei a ser sonoplasta de programa e ficava atento como os locutores faziam, pois queria muito seguir essa carreira”.

 

Para esse sonho se tornar realidade, o comunicador teve de ultrapassar seus próprios limites. No final de 1993, houve uma reviravolta e, sem hesitar, Dudu decidiu fazer um teste em outra emissora, onde teve a oportunidade de recomeçar. “Em um certo dia, recebi a proposta de um amigo que trabalhava na rádio ABC paulista, mas a princípio, eu não queria, só que por acreditar em mim, ele persistiu bastante e aí acabei topando. Me lembro que o dono da rádio pediu pra eu ler um texto e li despretensiosamente, porque não imaginava que ele fosse gostar, visto que eu ainda era gago, porém, ele me disse que havia achado interessante e combinou comigo de reencontrarmos para uma gravação”.

 

Transformando a dificuldade em inspiração

 

O locutor, que está com 42 anos, conta como foi o processo durante a experiência e como conseguiu superar a disfunção na fala. “Fiquei receoso, pois de uma hora pra outra resolveram me colocar no ar, eu tinha uns 18 anos. Após isso, meu papel era falar a hora certa. Eu que colocava a música e falava o horário de seis em seis minutos, só que foi ficando repetitivo e eu queria falar cada vez mais, a vontade de falar só aumentava”. E completa: “[...] eu ficava em casa treinando, falava o dia inteiro, parecia que eu estava ficando doido falando sozinho pelas ruas afora (risos), ensaiando para falar no rádio. Por fim, todo domingo passei a falar algo diferente e assim, sucessivamente. Quando completou oito meses que eu estava lá, passei a ter novos papéis e me vi preparado para ser o que sempre almejei. Foi quando eu já tinha perdido a gagueira”.

 

____________________________________________________________________

“De uma forma indireta entro na vida das pessoas e acabo não fazendo apenas uma locução. Os ouvintes se tornam amigos”.

___________________________________________________________________

 

Desde então, ele não parou mais. Atualmente, Dudu é apresentador dos programas "Bom dia Líder" e "Café com a Líder", da rádio Líder FM 103,5, onde há 11 anos introduziu uma nova maneira de locução para a emissora. A voz experiente e o modo extrovertido do locutor, fez com que ele ganhasse destaque e o carinho dos ouvintes. Ele comenta sobre o roteiro de programação e seu principal propósito. “O 'Bom Dia Líder' tem como finalidade levar algo de bom pela manhã aos ouvintes. Uma boa música, notícias e informações que possam motivá-los. A transmissão é feita de forma bastante alto astral, emanando boas energias. No programa, informamos sobre o tempo, as condições das estradas da região mineira e do Brasil, além disso, falamos de economia, noticias agrícolas, esporte, e etc”.

 

Dudu fala ainda sobre o diferencial do programa e conta como é a interação com os ouvintes. “O programa começa com muita alegria. Ele vai ao ar de segunda a sexta, a partir das 5 horas da manhã, indo até às 7. Eu procuro deixá-los bem, seja com uma música, uma informação ou um abraço que os ofereço. Costumo dizer que os ouvintes são amigos, pois estão ali comigo todos os dias, estreitando contato através do telefone e redes sociais; é muito legal tudo isso!”. Após o "Bom dia", Dudu vai ao ar com o programa "Café com a Líder", que juntamente com a locutora Leila Toledo, comanda até às 09 horas.

 

 

O locutor finaliza expondo sua percepção relacionada ao mundo do rádio e cita alguns atributos necessários para ser um profissional da área. “É uma profissão que, sem dúvidas, é muito emocionante. Acredito que para ser um locutor ou radialista, é preciso ter o dom de comunicar-se. Sou muito grato por essa oportunidade que Deus me deu, que pra mim, é mais do que um presente. Àqueles que desejam trabalhar em rádio, precisam dedicar-se à arte de se comunicar e fazer tudo com muito amor, dedicação, ter boas referências e nunca desistir dos sonhos”.

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS