Bombeiros alertam para crescimento em mortes por afogamento em Minas Gerais

18/12/2018

 

Até novembro de 2018, 499 pessoas morreram em decorrência de afogamento no estado, números 16% maiores que no ano passado. Índice que ainda pode piorar, com a maior utilização da água para refrescar no último mês do ano.

 

Essas estatísticas são alarmantes segundo o próprio corpo de bombeiros e um dos principais vilões, segundo os socorristas, é o celular e a busca por um ângulo melhor em fotos. “Ele tira a atenção. O ideal é ir em locais em que há salva-vidas ou bombeiros. Mas não são eles os responsáveis pelas crianças”, afirma o aspirante da corporação Robson Aparecido George.

 

Robson ainda alerta sobre o uso de bebida alcoólica. “É uma combinação incorreta. Além disso, as pessoas devem evitar locais desconhecidos e ficar perto das margens. A maioria dos acidentes acontece por desconhecimento do local”.

 

Os Bombeiros informam que as ocorrências envolvendo menores de 10 anos acontecem comumente em piscinas. Já os casos envolvendo adolescentes e adultos se concentram mais em rios, praias e cachoeiras. A indicação oficial é para a presença de um maior de idade sempre que crianças estiverem na água.

 

“Respeite as placas de sinalização. Se há alerta de perigo, obedeça. E em caso de afogamento, não corra riscos. O correto é jogar um objeto que flutue: uma garrafa PET, um isopor ou madeira e, depois, salvar a pessoa”, acrescenta o aspirante.

 

(FONTE: Portal Hoje em Dia).

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now