Comandante do Corpos de Bombeiros detalha ação dos militares de Ubá em Brumadinho

31/01/2019

 

Uma comitiva com bombeiros da Zona da Mata mineira foi enviada para reforçar as ações do desastre de Brumadinho, dentre eles, cinco militares de Ubá foram convocados e seguiram para a operação.

 

Em entrevista exclusiva ao programa Conexão Líder, a repórter Roberta Barros detalhou com o Comandante do 1º Pelotão de Bombeiros Militar de Ubá, Tenente Carlos Eduardo Guilarducci Fonseca, a operação e preparação dos representantes da nossa cidade no resgate.

 

Roberta Barros: Existe algum tipo de preparação desses cinco militares para participar dessa operação? Qual é o sentimento que vai junto com a bagagem nesse tipo de ação?

 

Tenente Guilarducci: Esses militares passaram por cursos internos específicos, dentro da área, para atendimento desse tipo de ocorrência, que são soterramentos. Todos têm conhecimento, expertise e capacidade psicológica para lidar com esse tipo de ocorrência. Sem nunca esquecer do psicológico humano, que é preparado através de treinamentos, para que eles estejam devidamente capacitados para uma catástrofe deste tamanho.

 

O sentimento é de cumprir a nossa missão, de fazer o melhor do nosso trabalho, de querer estar lá e fazer a diferença. Assim nós esperamos que os nossos militares possam contribuir para encontrar os corpos que ainda não foram localizados, dando a sua parcela de contribuição e entregando aos familiares algum conforto nessa angústia, para que eles possam fazer a despedida final dos seus entes queridos.

 

Existe alguma previsão de data de retorno dos oficiais para Ubá?

 

A previsão para empenho é de 7 dias, conforme doutrina aprendida durante os cursos. No dia 14 será o momento de enviar outra tropa, com outros militares, contendo também oficiais de Ubá e outras cidades competentes. O Corpo de Bombeiros está fazendo todo o desprendimento possível e necessário para que sejam enviados militares de todas as cidades para atendimento dessa ocorrência, isso sem deixar com que as unidades fiquem desguarnecidas e no prejuízo para atendimento à população.

 

Como driblar a emoção para lidar profissionalmente diante desse cenário?

 

É uma situação muito complicada. Durante os nossos cursos nós somos levados ao extremo em todos os sentidos, sejam eles físicos ou psicológicos e somos levados a algumas situações que são muito difíceis de suportar. Nós entendemos que são necessárias como treinamento, justamente quando chegar uma ocorrência como essa, para que estejamos preparados e cientes para aquilo que vamos enfrentar. Todos nós somos seres humanos e, por isso, tentamos sempre manter o foco para que as adversidades nos afetem o mínimo possível.

 

(O programa Conexão Líder vai ao ar de segunda a sábado às 11h45 na Líder FM 103,5).

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS