Economia aliada à proteção ao meio ambiente - chegou o momento da Energia Solar no Brasil

11/09/2019

 

Um dos maiores países do mundo com recurso solar existente, ou seja, nível de radiação para gerar a energia fotovoltaica, o Brasil impulsionou sua eficiência econômica. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o preço dos módulos fotovoltaicos caiu em torno de 80% nos últimos dez anos. E, no mês de agosto, o Brasil completou seu 1º Gigawatt (GW) de capacidade instalada de sistema fotovoltaico de geração distribuída. Esse dado representa um grande marco para o país, pois essa geração é responsável pela energia solar em implantações nos telhados, fachadas e pequenos terrenos.

 

 

Ainda segundo a Absolar, no final de 2016, a energia fotovoltaica no Brasil representava entre 80 e 90 gigawatts (GW), cerca de 0,1% da matriz energética nacional. Em 2019, o Brasil já conta com 3 GW em operação de geração solar fotovoltaica. Cerca de 2 GW são da geração centralizada (em sua maior parte contratada por meio de leilões) e outro 1 GW em geração distribuída.

 

Segundo Gizelle Ferreira, responsável pela Ensolar Ubá - empresa com mais de 12 anos de experiência, presente em sete estados, e que, desde março, opera na região com instalação de sistemas de energia fotovoltaica - o mercado tem ficado cada vez mais atrativo devido a dois fatores, principalmente. “Um deles é que houve queda no preço para instalação do sistema fotovoltaico no Brasil. O preço do módulo fotovoltaico caiu em torno de 80% nos últimos dez anos. E o segundo fator é a alta na conta de energia, que ocorre desde 2012 e que não tem previsão de acabar”, explicou Gizelle.

 

 

 

Economia na conta chega a 95%

 

Os constantes aumentos na conta de energia têm sido uma preocupação para o brasileiro e alternativas na geração de energia aparecem como uma forma de economia aliada também à responsabilidade ambiental. Ao observar uma solução para economia de energia, muitos consumidores estão optando para instalar as placas fotovoltaicas em residências e grandes empreendimentos. No ranking de estados do Brasil, Minas Gerais lidera com 196,7 MW, equivalente a 19,7% do total do País. Mas isso não aconteceu do dia para noite, um fator que colaborou para a aderência da população a energia solar para residência foi o fato de Minas Gerais acabar com a cobrança dobrada do imposto sobre energia solar.

 

 

Uberlândia, no Triângulo Mineiro, possui o maior número de placas de energia solar do Brasil. A capital Belo Horizonte e as cidades de Sete Lagoas, Betim e Montes Claros também se destacam. A principal vantagem da instalação de placas fotovoltaicas para o consumidor é a economia na conta de luz. O valor do investimento feito pelo usuário é “recuperado” em forma de economia de energia em cinco ou seis anos. Como o equipamento tem vida útil de 20 a 25 anos, o cliente ainda sai ganhando.

 

“A execução da geração distribuída requer cuidado para que o projeto apresente eficiência econômica para o consumidor. Desde a concepção do projeto, para estudar sua viabilidade, a taxa de retorno para o cliente, passando pela instalação, até a aprovação da concessionária para a troca do medidor”, explica Gizelle sobre os cuidados na hora de contratar o projeto de geração de energia solar.

 

Aspectos ambientais

 

O uso de energia solar oferece inúmeros benefícios nestes caso, atuando como redutor nos impactos ambientais, especificamente em termos de sua capacidade de renovação e a redução das emissões de gases de efeito estufa, e também vantagens financeiras para quem decide instalar placas fotovoltaicas. A tendência no futuro é que a energia solar adquirida através de placas solares se torne a principal fonte de energia do mundo inteiro.

 

Conheça os benefícios da energia solar - (confira no vídeo abaixo)

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS