Darciana Paschoalino esclarece polêmicas: 'O que mais propagou nossa situação foi o crime de homofobia'

19/03/2020

 

Em mais uma entrevista exclusiva, Anderson Badaró, apresentador do programa Conexão Líder, da Líder FM, conversou por telefone nesta quarta-feira, 18/03, com a empresária Darciana Paschoalino, alvo de diversos ataques em redes sociais por conta de uma possível infecção pelo Covid-19. 

 

Darciana desabafou sobre tudo o que tem acontecido em sua vida desde quando voltou de viagem à Europa, no começo do mês. Confira os principais trechos da entrevista:

 

VIAGEM À EUROPA

 

"Primeiro, todo mundo está falando que eu estive na Itália. Eu não fui à Itália. Eu 'fiz' Espanha, Portugal e França. Quando eu fui não tinha essa pandemia, não tinha nada disso, nem mortes. Tudo isso só estava ocorrendo na Itália. E mesmo assim só no norte da Itália, se não me engano. Retornando para o Brasil, ainda assim, tanto nos voos de ida e volta e voos internos, não havia nem nos próprios agentes a utilização de máscaras ou qualquer tipo de meio para impedir o COVID-19 ou nos determinando alguma coisa. Voos tranquilos, funcionários tranquilos. Tudo ok! Voltamos sem problema nenhum". 

 

VOLTA AO BRASIL

 

"Nós chegamos em um sábado, porém, na terça-feira, quando eu e Emiliane fomos ao hospital, após seguir o procedimento padrão que era ficar em casa, eles falaram para nós seguirmos nossa vida normalmente, porque não tinha nada para ser feito, nenhum tipo de exame, nem nada. Que esse exame não existia lá, que não existia esse protocolo. E que nós não estávamos tendo sintomas, assim como continuamos sem ter nenhum sintoma até hoje. Nos disseram que esses exames só eram feitos em pacientes já internados e em estado gravíssimo e nos mandaram para casa".

 

CORONAVÍRUS SE TORNA PANDEMIA

 

"Naquele meio tempo, lá pra quarta, quinta-feira, virou uma pandemia no mundo todo. Aí sim tomou uma proporção bem diferente da qual ao período em que estávamos viajando, pois parece que esse vírus se espalha muito rapidamente. Não existia a pandemia, nenhum caso de suspeita e muito menos de morte nos locais onde estivemos. Mas mesmo assim, ainda resolvemos ligar para todas as clínicas particulares de Ubá, para poder pagar para fazer esse teste e nenhuma delas afirmou ter. Nenhuma delas fazia esse teste, pois dizem não haver o kit necessário. Porque essa pandemia, pelo visto, pegou todo mundo de surpresa e evidentemente nos pegou de surpresa também e acabamos fazendo isso por desencargo de consciência. Porque não senti qualquer sintoma, hora nenhuma nós sentimos. Continuamos tranquilamente vivendo nossa vida".

 

ALERTA COM PARENTE INFECTADO

 

"No domingo, o irmão da Emiliane ligou falando que ele estava infectado pelo COVID-19, porque ele é infectologista e no hospital em que ele trabalha a pandemia havia estourado, por volta de quarta ou quinta feira e ele adquiriu o vírus depois, posteriormente, à nossa volta. Então não tivemos contato com ele enquanto ele tinha adquirido o vírus. Mas mesmo assim, eu resolvi ligar para o hospital novamente, porque não somos pessoas irresponsáveis, para poder fazer esse teste e esclarecermos isso. Só que desta vez, ao invés de procurar as pessoas que atendem na linha de frente desses hospitais, eu fui procurar pessoas na secretaria da epidemiologia, foi quando falei com Sandra Kilesse".

 

REALIZAÇÃO DOS EXAMES

 

"A Sandra nos encaminhou passando o nome de uma enfermeira, que nos atendeu prontamente. Assim nós fizemos exame de sangue, raio-x e um outro exame específico para o coronavírus. Todos os resultados saíram imediatamente e eles apontaram negativo. Então, nós não temos problema nenhum, eu tenho todos os exames em mãos. Meu hemograma está perfeito, meu raio-x está perfeito, eu continuo sem sentir nenhum sintoma e a Emiliana também. Ela me passou também o documento do Estado de Minas Gerais, dizendo que em Ubá não existe nenhum tipo de caso confirmado e eu também tenho esse documento em mãos".

 

QUESTIONAMENTOS SOBRE CONTRAPROVA

 

"Eu já questionei sobre a possibilidade de uma contraprova e fui informada que ela só existe para pessoas que a resposta do laudo é inconclusivo, igual aconteceu com o treinador do Flamengo. O nosso deu negativo, então nós não precisamos realizar nenhum tipo de contraprova, porque nós não somos portadoras do Coronavírus".

 

ATAQUES EM REDES SOCIAIS E DESABAFO

 

"Logo em seguida que saímos do hospital, estourou esta bomba dizendo que fomos para a Europa para nos infectar e trazer o vírus para disseminar na população. O que é simplesmente ridículo! Patético! Isso é um desserviço! Isso é serviço de gente que não tem nada para fazer da vida e provavelmente não deve ter um trabalho! São pessoas nos ameaçando até de morte! Disseminando o ódio! Inclusive com homofobia! Mas todas essas pessoas vão responder processualmente. Eu já tenho o áudio de cada um deles, com o número e o nome de contato e no devido momento, na hora certa, todos vão responder processualmente por isso. Eu agradeço o convite e espero que as pessoas tenham mais respeito e mais amor ao próximo e parem de disseminar mentiras e situações que não são reais e não ocorrem”

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaque
Please reload

Últimas
Please reload

Facebook

JORNAL O NOTICIÁRIO © 2016 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS