Quarta, 18 de Maio de 2022
11°

Tempo aberto

Ubá - MG

Memória Memória

As origens da Manga Ubá

A cidade identifica a fruta que identifica a cidade

30/01/2022 às 10h07 Atualizada em 04/02/2022 às 13h48
Por: Redação Fonte: Reprodução Revista IN
Compartilhe:
Manga Ubá
Manga Ubá

Dezembro lembra festas, Natal, preparação para o ano novo e, invariavelmente, é época de manga! Esse fruto tão apreciado na nossa região identifica Ubá, assim como também a cidade identifica a manga. É uma relação íntima e rara entre uma cidade e um fruto que começou há muitos anos.

Manga é o fruto da mangueira (mangífera indica), árvore nativa do sul da Ásia, da Índia até as Filipinas, da família das anacardiáceas, a mesma do cajueiro, do pistache e de várias espécies produtoras de resinas para vernizes. Rica em vitaminas A, C e D, a manga Ubá é consumida ao natural ou sob a forma de sorvetes, doces e sucos. Há mais de 500 variedades de manga em cultivo no mundo e dezenas delas no Brasil. A manga chegou ao Brasil por volta de 1700 quando os portugueses trouxeram da Índia para a Bahia as primeiras mangueiras. O cultivo adaptou-se tão bem aos novos solos, que logo se tornou uma das frutas mais plantadas do Nordeste. Do Brasil passou às Antilhas, entrou no México e chegou à Flórida.

A manga em Ubá

Com a implantação da Rede Ferroviária em Ubá por volta de 1881, não tardou a chegada em nossa cidade das primeiras espécies da fruta. As primeiras sementes de nossa manga foram trazidas para cá pelo italiano José Miotto, que veio para o Brasil aos nove anos de idade, com seu pai durante a imigração italiana. Ele aqui prosperou, tornando-se um homem de negócios de sucesso. Ia sempre à Itália e para lá levava muitas mudas de banana, de goiaba, entre outras plantas que lá não encontrava. E trazia para cá outras inexistentes aqui. Foi em uma dessas viagens que o italiano trouxe sementes de manga, que aqui recebeu o nome de Manga Ubá. Ele havia adquirido um terreno onde hoje se localiza o clube Mangueiras e plantou ali muitas mangueiras, tornando o lugar conhecido como “Morro das Mangueiras”.

Mangada

A partir daí, muitos ubaenses tinham uma forma especial de agradar os amigos distantes, enviando-lhes saborosas mangas Ubá. Nossa manga era muito desejada por moradores de outras cidades e os vendedores que as levavam para outros municípios, para vendê-las rapidamente, colocavam uma papel nos balaios, na maioria das vezes muito mal escrito, com a denominação “Manga Ubá”. O anúncio era certeza de venda garantida.

Mangada

Em 1935, Dona Risoleta Costa Souza, moradora da rua Santa Cruz, que fazia doces de goiaba e banana, resolveu experimentar o doce de pasta de manga, já que se perdiam rapidamente grande parte das mangas. Foi a primeira fabricação caseira do doce, e por fim, firmando Ubá no cenário regional como grande produtor de doces da fruta. Em 1976, Dona Risoleta presenteou o poeta Carlos Drummond de Andrade com algumas barras de mangada e recebeu dele um cartão de agradecimento.

Cara D. Leleta:

Que sabor de infância, que sabor de Minas, no seu doce de manga! Adorei o presente delicado.

Só ficamos tristes, eu e minha mulher, porque não estávamos em casa quando o Saulo nos trouxe a deliciosa encomenda!

Carlos Drummond de Andrade, Rio, 21 de janeiro de 1976

 

Nas décadas de 60 e 70, a produção caseira da mangada em Ubá obteve reconhecimento e projeção com as doceiras da família Martins. Dona Paula Martins Lanna, Dona Glorinha Antunes Martins e Dona Paula Martins Rocha. Posteriormente houve produção industrial através da empresa Frutubá, que funcionou no bairro São João. Atualmente, estão cadastrados no escritório local da EMATER-MG, cerca de 20 micros agro produtores que fabricam e comercializam a mangada da manga Ubá.

Fruto famoso no Brasil todo como manga Ubá passou a ser conhecido como ‘Patrimônio Imaterial do Município’, por meio do decreto 4.258, no governo do Dr. Antônio Carlos Jacob. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias